1 de março de 2018
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Toyota confirma desenvolvimento de novo motor e câmbio

Sempre focada em oferecer uma melhor experiência para os seus motoristas, a Toyota já iniciou o desenvolvimento de uma nova geração de motor e câmbios desenvolvidos especificamente para a plataforma modular TNGA (Toyota New Global Architecture), atualmente utilizada no híbrido Prius.

Graças à pioneira combinação de engrenagens tradicionais com a cinta metálica existente em câmbios deste tipo, o novo sistema de transmissão automática CVT (confira no vídeo acima o funcionamento do sistema) oferece uma melhor eficiência do conjunto em baixa rotação.

Com o foco em oferecer a mesma melhora de eficiência em rotações mais altas, a Toyota alterou também a cinta metálica, que agora permite variações maiores de relações.

Além das novidades já citadas, a Toyota ainda anunciou o desenvolvimento de um câmbio manual de seis marchas que é sete quilos mais leve e 24 milímetros menor que o empregado atualmente pela empresa.

A novidade entre os motores ficou para um 2.0 com injeção direta que pode ser utilizado sozinho ou como o propulsor a combustão de um conjunto motriz híbrido.

Apesar das notícias serem animadoras, os brasileiros terão que esperar um pouco mais para desfrutar das novidades.

Até o momento, a Toyota não confirmou o lançamento desses novos produtos no mercado brasileiro, mas os conjuntos motrizes e a plataforma TNGA poderão estar presentes nos próximos lançamentos da marca.

 

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

23 de fevereiro de 2018
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Ligar o ar-condicionado ou abrir as janelas? Saiba qual a melhor opção para quem quer economizar

Ligar o ar-condicionado ou abrir as janelas?

Ligar o ar-condicionado ou abrir as janelas?

 

 

 

 

 

 

 

Hoje em dia o ar-condicionado deixou a prateleira de acessórios ou opcional para se juntar aos itens que compõem os requisitos mínimos necessários em um veículo.

Essa mudança se deve muito ao aumento significativo das temperaturas ambientes e pela insegurança que é vivida no trânsito das grandes cidades.

Contudo, é de conhecimento de quase todos os motoristas que o ar-condicionado interfere diretamente no rendimento do veículo e no consumo de combustível, mas até que ponto esta equação é viável?

Em primeiro lugar, devemos comentar que um sistema de ar em um veículo de baixa cilindrada é realmente causador de muitas reclamações de desempenho e consumo.

Portanto, se você acha o ar-condicionado imprescindível, a potência do carro deve ser considerada na hora de escolher o veículo ideal para você.

Ao adquirir um veículo com pouca potência, tenha em mente que, ao efetuar ultrapassagens ou encarar subidas mais acentuadas, o sistema de ar poderá apresentar falhas.

Em alguns casos, o ar-condicionado pode comprometer até 20% da potência do motor de um veículo e para obter rendimento compatível devemos acelerar mais o veículo, o que gera sem dúvida um consumo maior.

Esta realidade está mais dirigida à utilização urbana de um veículo, sendo que em uso rodoviário há outros pontos a analisar.

 

Por exemplo, a condução de um veículo em estrada com as janelas abertas provoca uma resistência ao deslocamento que aumenta o consumo de combustível.

 

 
O consumo de combustível em números (%)

 

De acordo com o Mythbusters, um seriado de TV americano, o uso do ar-condicionado aumenta o consumo de combustível em cerca 10%.

 

Por outro lado, se um veículo roda com velocidade superior a 70 km/h e com os vidros abertos o gasto também será em torno de 10% ou mais.
Esse aumento no consumo quando os vidros estão abertos se devem ao chamado arrasto aerodinâmico, que ocorre quando o vendo entra pela janela do carro e cria uma resistência.

 

É como se o veículo estivesse com um paraquedas freando o veículo, forçando o motorista a acelerar mais para manter a velocidade e, consequentemente, aumentando o consumo de combustível do carro.

 

 

Conclusão:

Em resumo, sempre que a velocidade do carro for inferior a 70 km/h, a opção mais econômica será abrir as janelas. Caso você ultrapasse os 70 km/h, é melhor subir os vidros e ligar o ar-condicionado.

Vale lembrar que, pela insegurança que é vivida no trânsito das grandes cidades, a economia gerada com os vidros abertos, em diversos casos não será compensatória diante da exposição ao risco de assaltos.

 

Portanto, se você trafega nos grandes centros urbanos, áreas mapeadas como de riscos pelos órgãos responsáveis pela segurança ou locais de pouca iluminação durante a noite, por exemplo, e se seu veículo possui ar-condicionado, utilize-o e garanta mais conforto e segurança.

 

 

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

2 de fevereiro de 2018
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Toyota celebra 60 anos de atividades no Brasil

Toyota celebra 60 anos de atividades no Brasil

Toyota celebra 60 anos de atividades no Brasil

2018 já está marcado na história da Toyota como o ano em que a marca completou 6 décadas de atividades no mercado brasileiro.

Logo no início de 1958 a Toyota inaugurava um escritório no centro da cidade de São Paulo. Já em dezembro do mesmo ano, a montadora inaugurou a linha de montagem do jipe Land Cruise, que cinco meses depois já estava em processo de montagem.

Com ,83 metros de comprimento, 2,28 metros entre eixos e 1.450 kg de peso, o Land Cruise, responsável pela estreia da Toyota no Brasil, podia transportar seis pessoas em dois assentos inteiriços.

O motor Toyota 2F a gasolina, de seis cilindros e 4,0 litros, já era capaz de fazê-lo superar os 100 km/h.

Pouco depois do início das atividades no Brasil, em 1961, a Toyota adquiriu um terreno na cidade de São Bernardo do Campo (SP). O espaço foi utilizado para instalar a primeira unidade industrial da Toyota fora do Japão.

Em 1962, passou a fabricar o jipe com o nome Bandeirante e motor a diesel, que se manteria em produção até o início do século atual.

Os automóveis passaram a serem produzidos em 1998 com o Corolla e seguia em 2012 com o Etios.

Toyota-Brasil-completa-60-anos

Atualmente a Toyota conta com quatro fábricas nas cidades paulistas de Indaiatuba, Sorocaba, Porto Feliz e São Bernardo do Campo, cidade também que abriga um Centro de Pesquisa Aplicada e um Centro de Design.

Outros três centros de distribuição de veículos em Guaíba (RS), Vitória (ES) e Suape (PE), um centro de distribuição de peças em Votorantim (SP), um escritório de representação em Brasília (DF) e mais de 5.800 colaboradores completam a estrutura construída ao longo desses históricos 60 anos.

A Toyota fechou 2017 com pouco mais de 190 mil veículos vendidos no mercado brasileiro. Desse total, 66.200 unidades foram do sedã médio Corolla e 70.000 do compacto Etios.

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

23 de janeiro de 2018
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Importância do pneu para a estabilidade do carro

Importância do pneu para a estabilidade do carro

 

Elemento indispensável em todo carro, o pneu muitas vez não tem sua real importância levada à sério pelos motoristas.

Na verdade, grande parte dos motoristas só pensam em trocar os pneus ou quando furam ou quando se preocupam com uma possível multa por rodar com o pneu careca.

O que muitos motoristas ignoram é a importância do pneu na estabilidade do carro. Isso fica bem claro na hora de trocar o pneu. A opção mais barata costuma ser a mais atraente, mesmo que não seja a melhor para o carro.

Pensando em economizar, pneus que já foram usados anteriormente e até modelos diferentes dos outros que estão sendo utilizados no veículo passam a serem boas opções se oferecerem um custo mais baixo.

Porém o pneu é o grande responsável pelo contato do carro com o chão e, consequentemente, responsável por manter a estabilidade do veículo nas situações normais de dirigibilidade.

Sendo assim, optar por opções mais baratas pode influenciar diretamente na estabilidade do veículo, colocando em risco a vida do motorista e dos passageiros.

Cada pneu possui um modelo e desenho diferente que potencializa a característica do elemento. Ainda que esse seja apenas um dos fatores que influenciam no desempenho do automóvel no momento em que ele está sendo conduzido, não deve ser menosprezado.

Desde desequilíbrio do conjunto, até a dirigibilidade, qualquer tipo de lombada ou buraco se torna um risco quando o veículo perde estabilidade.

A discrepância entre os pneus pode gerar diferença na tração e frenagem, tanto no seco quanto molhado, ocasionando instabilidade. Outro ponto a ser respeitado é a dimensão de cada um dos pneus, que deve seguir as recomendações da montadora.

Muito mais do que apenas prejudicar o motor e estrutura do automóvel, o que gera gastos futuros, a facilidade de se perder o controle do carro é o principal risco desse tipo de atitude.

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

17 de janeiro de 2018
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Evite andar com o combustível na reserva

Combustível-na-reserva

 

Os motoristas brasileiros estão cada vez mais atentos às placas que indicam os preços de combustíveis nos posts.

Com os constantes aumentos nos preços dos combustíveis, segurar ao máximo para abastecer se tornou uma prática comum.

No entanto, rodar com o tanque na reserva até encontrar um post de combustível com o preço mais em conta não deve se tornar um hábito.

É compreensível a tentativa de economizar, mas apesar do alto valor dos combustíveis, a pratica de abastecer o veículo apenas quando o tanque entrar na reserva deve ser evitada.

Além de poder causar diversos problemas ao seu veículo, a qualquer momento você pode ficar a pé, não só na hora que acaba o combustível como também na hora que o carro para de vez e precisa de um guincho.
Nessas horas, o que era uma tentativa de economizar torna-se um gasto muito mais elevado do que a economia feita.

Exceto em emergências, a reserva do veículo deve ser evitada. Com espaço entre 5 e 8 litros na maioria das vezes, esse restante de combustível não é armazenado em um tanque extra.

O que acontece é que essa é a quantidade considerada ideal pelas montadoras para que um aviso luminoso seja aceso, informando que o tanque está ficando vazio.

Um dos primeiros problemas é o risco de acontecer uma pane seca. Uma vez que não se sabe a quantidade exata de combustível restante, fica impossível estimar quantos quilômetros ainda é possível percorrer.

Além do carro ficar parado no meio da rua graças ao tanque vazio, o motorista ainda pode ser multado, perder pontos na carteira e ter o veículo guinchado.

Outro fator de risco é a entrada das impurezas do combustível na bomba, uma vez que todos os detritos se depositam no fundo do tanque. Quando esse restinho de combustível é utilizado, as sujeiras podem ser enviadas para o motor, provocando falhas de funcionamento.

Talvez nem todos saibam, mas o combustível também é utilizado como meio de resfriamento da bomba. Uma vez que o tanque está vazio, o superaquecimento dessa estrutura pode acontecer, o que causa sérios danos ao veículo como um todo.

Uma coisa que costumamos dizer sempre é que o barato pode sair caro. Então, tenha cuidado, por que uma economia ou falta de cuidado pode custar mais caro em seu bolso.

 

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

27 de dezembro de 2017
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Dicas para dirigir na chuva

Dicas para dirigir na chuva

 

Dirigir na chuva sempre foi um desafio para muitos motoristas. Um reflexo é o aumento no número de acidentes.

Basta o tempo fechar que logo diversos motoristas já não demonstram a mesma tranquilidade ao guiar o carro pelas ruas.

Ao contrário do que muitos pensam, não são apenas as enchentes que atrapalham a condução dos veículos. Assim que as primeiras gostas de água começam a cair do céu, os sinais de alerta dos motoristas devem ser ligados.

César Urnhani, piloto de testes, afirma que uma das situações mais problemáticas é a de chuva moderada.

“Nessa condição, o piso fica imediatamente escorregadio, mas como a visibilidade é pouco afetada, o motorista tende a não reduzir a velocidade como deveria”, explica Urnhani.

De acordo com um levantamento do Departamento de Trânsito do Distrito Federal, o aumento de colisões com o asfalto molhado gira em torno de 30%.

A dica mais importante é manter a calma e tirar o pé do acelerador para evitar possíveis colisões.

A chuva virou tempestade. O que devo fazer?

Assim que o sol dá lugar a nuvens carregadas e a chuva forte começa a cair, a melhor opção é se abrigar em um local seguro até a chuva passar.

É bem verdade que nem sempre é possível se abrigar a tempo. Nesses casos vale redobrar a atenção e tomar alguns cuidados básicos.

Caso perceba que a água começou a tomar conta das vias, tome cuidado para não ocorrer o chamado calço hidráulico, situação em que a água invade o interior dos cilindros através da tomada de ar.

Caso o calço hidráulico ocorra inevitavelmente você precisará trocar as peças internas do motor que tenham sido afetadas.
Além disso, a água também pode danificar os sistemas elétricos e eletrônicos do automóvel.

Dicas rápidas:

 

  • Confira a previsão do tempo;
  • Tenha mais atenção com a travessia de pedestres
  • Fique atento ao nível da água na pista;
  • Usar farol baixo sempre aceso
  • Desembaçar os vidros sempre que necessário
    Cuidado com perigo encoberto por outros veículos – mantenha distância de segurança;

 

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

20 de dezembro de 2017
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Viagem Toyota

Viagem Toyota

 

Fim de ano é um período de férias e muitas festas. São exatamente nessas horas que muitos brasileiros aproveitam os dias de folga para colocar o carro na estrada.

No entanto, é preciso ficar atento a alguns detalhes para a viagem sair como planejada e você voltar cheio e boas lembranças.

Poucas coisas são tão frustrantes quanto ver a viagem dos sonhos se transformarem em um grande pesadelo.

Exatamente por isso é importante prestar atenção em alguns detalhes, como a manutenção do seu Volkswagen e a prudência nas estradas para não entrar nas terríveis estatísticas apresentadas pelos jornais ao fim de cada feriado prolongado.Antes de colocar as rodas nas estradas, faça uma revisão no seu Volkswagen para verificar se itens como pneus, lanternas, freios, extintor de incêndio e também as condições do motor, estejam adequadas para viajar sem que você coloque em risco a sua segurança e das pessoas que viajam com você.

Super Dica: 
Preparamos um checklist para garantir seu sossego e tranquilidade enquanto curte as férias. Acesse goo.gl/7xyeFu e confira!! É gratuito.

Pesquisar o melhor horário para sair, os pontos de perigo da estrada, se há obras no trecho pelo qual pretende passar e conversar com quem já passou pela estrada pode te ajudar a ter uma viagem mais tranquila.

Vale lembrar que mesmo com todas essas informações a prudência na estrada deve prevalecer. Portanto respeite a sinalização, os limites de velocidade, use o cinto de segurança e deixe a bebida para a hora que chegar ao seu destino.

Nunca é demais lembrar que bebida e volante não combinam.

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

14 de dezembro de 2017
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Desça do salto antes de pisar no acelerador

Desça do salto antes de pisar no acelerador

 

Está cada vez maior o número de mulheres no volante e hoje a nossa dica é para elas. Vai dirigir? Então desça do salto.

Quando o assunto é o salto alto, muitas mulheres logo pensam que não saem de casa sem ele.

Entre as qualidades que colocam este item de moda como um dos mais queridos pelas mulheres estão a elegância, aumento de autoestima e feminilidade. No entanto, é preciso descer do salto para dirigir.

Por lei, o salto não é proibido, mas mesmo com o Código Nacional de Trânsito Brasileiro não proibindo o uso dos sapatos de salto, o artigo 252, permite a penalização a todo calçado que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais.

Desta forma, dirigir com sapato de salto pode se tornar uma infração média e gerar uma multa o valor de R$ 85,13 e a perda de quatro pontos na carteira.

Muito pior do que a multa e os pontos na carteira é a possibilidade de acidentes. Apesar de pouco ouvirmos falar sobre acidentes causados por mulheres que dirigiam com sapatos de salto, é muito mais comum do que imaginamos, encontrar ocorrências de acidentes devido ao fato do salto se enroscar nos pedais ou a motorista perder a noção da força ao pisar no pedal.

Por isso se for sair com o seu carro e está com salto alto, a melhor opção é deixar um calçado confortável no veículo e utilizá-lo na hora de dirigir. Vale uma sapatilha de sola lisa e até dirigir descalço, como a lei permite.

Deixe o salto para quando for descer do carro.

 

 

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

4 de dezembro de 2017
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Falsou ou Verdadeiro?

Já ficou na dúvida se um caso é falso ou verdadeiro? É difícil imaginar um assunto que não tenha mitos e inverdades e não seria diferente com o setor automotivo. Muito pelo contrário.

Quando o assunto é carro, sempre tem um conhecido que conta um caso como se fosse uma verdade absoluta e muitas vezes não passa de um mito do setor automotivo.

Para te ajudar a resolver alguns desses temas polêmicos, separamos 5 casos para esclarecer para vocês.

Confira!

 

1 – Carros escuros ficam mais quentes no calor?

 

VERDADEIRO – A diferença não é tão grande, mas existe. As corres escuras retêm mais calor do que as cores claras. Isso não é uma exclusividade dos carros. É fácil identificar essa diferença entre camisas do mesmo tecido e com cores diferentes.

No caso dos carros, especialistas dizem que é de um ou dois graus – porém, no caso de pinturas modernas, a diferença é quase imperceptível.

Neste cenário, fatores como superfície geral, o ângulo, a tonalidade e a qualidade dos vidros, assim como os encaixes no interior, possuem uma relevância muito maior no calor.

 

2 – Pneus largos são sempre melhores para o desempenho do carro

 

FALSO – Não se pode dizer que os pneus com área de superfície maior são sempre uma vantagem. Apesar de ajudar bastante no controle de tração, em caso de chuvas os pneus largos se tornam desfavoráveis.

Isso ocorre devido ao fato do peso do carro está todo distribuído na área de pneu maior, o que eleva o risco de se perder a aderência mais rapidamente em ruas molhadas.

Com a tecnologia cada vez mais elevada, essa diferença se torna quase imperceptível.

 

3 -Chegar primeiro significa menos consumo?

 

FALSO – Por mais que possa parecer lógico em um primeiro momento, já que o motor não tem tanto tempo para consumir combustível, a realidade é diferente.

Se você imaginar que quem chegou antes acelerou mais, fica mais fácil entender porque esse tema se trata de um mito.

Quanto mais fundo você pisa no acelerador, mais combustível o motor vai sugar para dar a resposta que você espera.

Por exemplo, Se dois veículos viajarem a mesma distância, um a 120 km/h e o outro a 80 km/h, o motorista mais lento vai mais longe com a mesma quantidade de combustível.

Se o seu objetivo é economizar combustível, pense bem antes de acelerar.

 

 

 

4 – Carro consome mais combustível em dias chuvosos.

 

VERDADEIRO – A chuva é um dos fatores que mais influencia na física de dirigir. Com as chuvas mais fortes, o impacto é ainda maior.

Isso ocorre porque os pneus precisam deslocar a camada de água na rua, elevando a necessidade de força do motor.

Superar a resistência da água exige mais potência do motor, o que pode aumentar o consumo de combustível.

 

5 – Rodas maiores aumentam a velocidade?

 

FALSO – Parece óbvio, mas a comprovação veio através de um teste da revista americana Car and Driver.

O teste levou em conta um carro com rodas de 15 e 19 polegadas e comprovou que que acontece exatamente o contrário.

Na arrancada para atingir 100 km/h, os pneus maiores até levam vantagem porém, ao percorrerem 400 metros, o veículo com rodas de 15 polegadas chegou primeiro.

 

 

 

Para ler mais notícias Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

 

22 de novembro de 2017
por Equipe SGA Toyota
0 comentários

Para muitos é desafiador dirigir à noite, não bastasse o medo algumas fobias torna a visibilidade comprometida, a luz dos faróis traz uma insegurança tanto para mulheres e homens que se sentem agoniados na hora de enfrentar o trânsito noturno, mas não se preocupe separamos algumas dicas para você se sentir tranquilo quando for dirigir à noite.

dirigir à noite

Você pode contratar serviços de autoescola com instrutores específicos para ajudar pessoas com medo de dirigir, existem alguns serviços que até oferece acompanhamento psicológico.

Alguns especialistas orientam o condutor que sente insegurança, medo de dirigir à noite que comece aos poucos, fazendo pequenos trajetos ao fim da tarde.

Ter uma atenção extra ao entardecer é o primeiro passo para você se sentir seguro nas ruas, outro detalhe é certificar que o seu carro está com a manutenção em dia evitando alguma surpresa indesejada, lembrando que à noite você estará limitado para pedir ajuda ou encontrar um local de fácil acesso para recorrer.

Tenha atenção redobrada mantendo distância de segurança de outros veículos, a distância segura leva em consideração a velocidade que se está trafegando, maior a velocidade, maior deverá ser a distância de segurança. Caso a pista seja mal pavimentada, buracos ou até molhada devido à chuva siga essas orientações.

Não exceda o limite de velocidade, procure andar de acordo com as descrições que a via permite. Caso queira andar com a velocidade um pouco mais reduzida, mantenha- se na direita.

Para sua segurança dirija sempre de vidro fechados, acione a trava interna de todas as portas, use o sinto de segurança e não deixe objetos a mostra. Tenha cuidado nos semáforos, sempre tem alguém ultrapassando o sinal vermelho, caso tenha que parar mantenha distância do carro da frente, pare sempre com a primeira macha engatada, sempre desconfiando mantendo cautela, afinal nunca se sabe a intenção dos outros.

Com essas dicas você vai perceber que aos poucos você supera o medo e insegurança.

Para ler mais notícias e informações sobre a SGA visite nosso site.

Siga-nos no Twitter e Facebook.