Toyota Etios Sedã alia motor potente, conforto interno e ‘design quadradão’

| 0 comentários

As montadoras apostam cada vez mais em sedãs menores para conquistar as famílias pequenas que precisam de um porta-malas generoso para carregar desde carrinhos de bebê a pranchas de bodyboard. Entrar nesse nicho no Brasil não é tarefa fácil, mas parecia menos difícil para a Toyota, acostumada a vender como água o sedã médio Corolla, sucesso indiscutível no País.

Etios Sedã

De olho naquele público que não tem grana para bancar seu best-seller, mas precisa de um sedã, a Toyota lançou no Brasil o Etios sedã, que veio para competir com uma turma grande de sedãs, formada por Renault Logan, Chevrolet Cobalt, Fiat Grand Siena, Nissan Versa e Volkswagen Voyage. A reportagem do R7 Carros testou por uma semana o modelo, com motor 1.5 flex de 96,5 cavalos de potência.

A começar pelo design, o Etios vem meio “quadradão”, sobretudo na traseira, assim como os concorrentes Logan e Cobalt. A frente do carro, porém, é mais arrojada e de melhor aparência, principalmente por causa dos dois vincos que percorrem o capô e os faróis afilados.

Dentro do carro, o destaque positivo é o câmbio e o motor. Com marchas curtas e fortes, partir do repouso e chegar aos 100 km/h não requer esforço, ainda que o carro esteja pesado. O câmbio é manual de cinco marchas, e o motor preza pelo silêncio na hora do trabalho.

Com tanque cheio e velocidade média de 120 km/h, que a rodovia dos Bandeirantes permite, a autonomia do carro rodando com álcool chegou a 9 km/litro. Na cidade, caiu um pouco, para cerca de 8 km/litro.

O acabamento do japonês Etios, no entanto, tem grande influência dos carros do país vizinho, a China. Centralizado como o do Honda Civic, o painel ainda é analógico e é pobre de detalhes. O porta-luvas, inclusive, lembra um robô, já que se encaixa na saída de ar do passageiro. O marcador de velocidade e o conta-giros disputam espaço, e o odômetro fica bem escondido, com pouca luz.

A Toyota também terá que se preocupar com segurança com o Etios. As travas elétricas não são acionadas automaticamente quando o carro começa a se movimentar. Nem destravam quando se desliga o carro, o que pode ser um grande problema em caso de um assalto, por exemplo. Outro ponto negativo é o retrovisor, que não é elétrico. Ainda tem o acionamento do alarme, que é um escândalo para quem chega em casa de madrugada.

Por outro lado, um dos pontos positivos do interior do carro, que agrada muito às mulheres, são os porta-trecos espalhados pelo carro. Em todas as portas, inclusive nas traseiras, há espaço para colocar copos e garrafas, assim como no console do carro. Os bancos do Etios também são muito confortáveis, inclusive para quem anda atrás. E não se pode deixar de lembrar que o Etios sedã vem com um dos maiores porta-malas da categoria, com 562 litros.

Por tudo isso, o Toyota Etios sedã chega ao mercado brasileiro com preços a partir de R$ 36,1 mil.  A tarefa de ganhar do Cobalt, que sai a partir de R$ 38,2 mil; do Voyage, a partir de R$ 30 mil; e do Logan, que parte de R$ 26,5 mil será árdua, mas o “chapeuzinho” sobre o capô pode ajudar nas vendas.

Em resumo, o motor é o grande destaque do Etios sedã, mas o design externo e interno deixam a desejar. O apelo da marca Toyota, porém, que ficou conhecida no País por produzir carros resistentes e que “não quebram”, deve ajudar o Etios sedã a cair no gosto dos brasileiros. Mas o consumidor já deve ir para a concessionária sabendo que não vai encontrar as curvas mais modernas no carro.

 

Para ler mais notícias, clique em www.blogdasga.com.br. Informações sobre a SGA visite nosso site. Siga-nos no Twitter e Facebook.

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.